quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Jornalistas dizem não à "palhaçada" dos patrões

O blog do Sindijor Foz e Região recebeu o e-mais indignados, em resposta a afronta dos barões da mídia paranaense que tentam desvalorizar os profissionais do estado. Mande seu recadinho também para o e-mail sindijorfozeregiao@gmail.com.


****

É ridícula a proposta para baixar nossos salários. Os profissionais da imprensa do interior atuam da mesma maneira, e em determinadas vezes desenvolve mais pautas que os colegas de Curitiba. Já perdemos a validade do diploma, o que querem mais? É revoltante ver a desvalorização que a categoria sofre, e não podemos ficar de braços cruzados vendo novamente nossos direitos destruídos. Hoje, em Cascavel, uma empregada doméstica (sem desvalorizar a profissão) ganha o mesmo ou mais pela atividade, enquanto que nós, profissionais da imprensa, que pagamos pelo curso superior, estamos nos especializando com pós-graduação e cursos, e temos a responsabilidade de representar o povo enfrentamos uma afronta. A queda salarial faz decair a qualidade da imprensa paranaense.

Josimar Bagatoli

Jornalista diplomado, pós-graduado, do interior do Paraná.

***

Que absurdo! Este caso específico comprova que os patrões não têm nenhuma preocupação com a qualidade do jornalismo que oferecem o seu público, afinal, pra eles, qualquer um pode ser jornalista. As forças que operam contra a garantia dos direitos do profissional são as mesmas que moveram o Gilmar Mendes a derrubar a obrigatoriedade do diploma. A ideia básica é: o mundo é dos espertos, e que se faça qualquer desesperado se estapear com outros por um empreguinho de repórter... É a lamentável noção de reserva de mercado. E não tem nada que difere de um jornalista do "interior" com o da capital, otrabalho é o mesmo, quem faz um bom jornalismo, faz em qualquer lugar.


Rafaela Schuinka - Jornalista Diplomada

Ponta Grossa


***

Sou jornalista em Cascavel e fiquei indignada com a proposta dos patrões. Querem prostituir a nossa profissão, que já é completamente desvalorizada. Prefiro largar a profissão a me submeter a trabalhar por um salário desses. O que vão conseguir com isso é um jornalismo cada vez de menor qualidade. Sem condições do sindicato aceitar um acordo desses.

Luana Monteiro

Cascavel - Paraná


***


Não podemos de forma alguma aceitar uma proposta dessas, espero que o sindicato lute por nosso direitos e não aceite isso. Qual o motivo para um jornalista do interior ganhar menos que um da capital? Por acaso trabalhamos menos? Aqui no interior o custo de vida é mais baixo? Pelo menos em Cascavel não é. Já não temos nossa carga horária de trabalho (5 horas) respeitada e ainda querem reduzir o salário. É óbvio que não poderiam baixar o salário de quem já está contratado, mas podem mandar esses embora e contratar outros pelo novo piso. Simplesmente ridícula essa proposta...


Neo Gonçalves

Cascavel - Paraná


***

Para variar o sindicato patronal propõe a degradação absoluta de nossa categoria. Espero que os jornalistas amiguinhos dos patrões caiam na real. Eles desprezam nosso trabalho e só o utilizam com interesse pessoal.

Este é um momento de união e aproximação com o sindicato, cujo papel é exclusivamente defender a classe, ao contrário do que algumas pessoas facilmente influenciáveis e puxa-sacas pensam. Ou vão aceitar caladas a proposta de redução do salário e demais absurdos propostos pelos "generosos" patrões? É hora de ter dignidade e mobilizar-se, de fazer algo e não ficar esperando passivamente que façam por você.

Douglas Furiatti, jornalista profissional

Foz do Iguaçu - PR


***

"Jornalista é um só. Independente da geografia estadual”

Wemerson Augusto – jornalista

Foz do Iguaçu

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Não só os jornalistas, mas todos trabalhadores estão cada vez mais, perdendo direito. por isso parabenizo o sindicato pela luta e pela união dos profisisonais, pois só assim avançaremos.

    "nosa vitória não será por acidente"

    ResponderExcluir
  3. devemos nos unir para que não volte a velha ditadura,pois são tentativas como estas propostas ridiculas destes que se intitulão patrões,pois no fundo estes que querem voltar na época da ditadura ,nem merecem ser chamados de patrões,pois não tem respeito com seus colaboradoures.devemos nos unir e dar grande não a estas propostas,pois inerior ou capital somos todos profissionais,e vamos lutar juntos.

    ResponderExcluir
  4. Ridícula a proposta patronal. Nós do interior somos menos competentes que os da capital? Qual a diferença? Mesmo que a proposta fosse para baixar os salários em todo o estado, inclusive Curitiba, seria ridícula. Não se pode aceitar mudanças em direitos adquiridos. Queremos avanços, não retrocessos. Já somos explorados no interior tendo nossos direitos simplesmente ignorados pela maioria dos patrões, imagina se perdermos o que já temos!!!

    Edivaldo Candido - Jornalista em Cascavel

    ResponderExcluir